Você sabia?



Que o mel era um alimento apreciado em Israel e era usado para dar ânimo e vigor às pessoas cansadas? Em 1 Samuel 14:24-29 lemos que, após lutarem os homens de Israel e estarem exaustos, Jônatas, filho do rei Saul, comeu do mel que estava no chão do bosque, foi revigorado, e seus olhos tornaram a brilhar (vs.25,27).
Conhecedor do valor, da doçura e da importância do mel, o amado de Cântico dos Cânticos elogiou os lábios da amada da seguinte forma: “Os teus lábios, noiva minha, destilam mel!” (4:11). Por apreciar tanto o mel, o salmista comparou as palavras do Senhor ao mel: “Quão doces são as tuas palavras ao meu paladar, mais que o mel à minha boca” (Salmos 119:103). Assim, vemos que o elogio em Cântico dos Cânticos refere-se às palavras que a amada falava. Suas palavras eram como o mel, animando e fortalecendo os desanimados e enfraquecidos. Suas palavras traziam doçura àqueles que estavam amargurados.
Como cristãos, também devemos almejar que, de nosso lábios, fluam palavras que edifiquem, encorajem, supram, vivifiquem, fortaleçam e transmitam graça às pessoas (Efésios 4:29). Isso, na verdade, será o resultado espontâneo naqueles que buscam o crescimento espiritual e permitem que a palavra de Cristo habite ricamente em seus corações (Colossenses 3:16; Lucas 6:45).
( Jornal Árvore da Vida)



Sweet love is your love for me Jesus.




Nenhum comentário:

Postar um comentário