Vivendo uma vida de amor.



Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças e de todo o teu entendimento; e: Amarás o teu próximo como a ti mesmo (Lc 10:27). E, assim, habite Cristo no vosso coração, pela fé, estando vós arraigados e alicerçados em amor, a fim de poderdes compreender, com todos os santos, qual é a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade e conhecer o amor de Cristo, que excede todo entendimento, para que sejais tomados de toda a plenitude de Deus (Ef 3:17-19).


A VIDA DA IGREJA É UMA VIDA DE AMOR

Anos depois de Paulo, Pedro e todos os demais apóstolos terem sido mortos pela perseguição ocorrida em Roma, João foi levantado pelo Senhor para consertar as “redes”, isto é, cuidar da degradação que sorrateiramente havia entrado na igreja. João foi preso e exilado na ilha de Patmos, por cerca de vinte anos, e, nesse período, foi transformado. Ele aprendeu a viver no espírito, negou a vida da alma e tornou-se uma pessoa espiritual, por isso Deus pôde usá-lo.
Deus lhe deu a revelação que ele escreveu no livro de Apocalipse. O Senhor ordenou a João que escrevesse o que lhe foi revelado “para mostrar aos seus servos as coisas que em breve devem acontecer e que ele, enviando por intermédio do seu anjo, notificou ao seu servo João” (Ap 1:1). Ele viu muitas situações inadequadas, e seu encargo era restaurar o viver das igrejas e levá-las a praticar a Palavra.
Segundo a história da igreja nos conta, depois de seu exílio na ilha de Patmos, João foi para Éfeso. Por meio de suas cartas, percebe-se que ele fez daquela cidade o centro de sua obra (3 Jo 5-8). Tudo o que o Espírito da verdade o fez lembrar e todas as visões que ele recebeu no espírito para escrever Apocalipse, João aplicou à igreja e a ajudou a praticar as palavras de Paulo. Desse modo a igreja em Éfeso se tornou de fato desejável – Éfeso significa desejável – andando na verdade e no amor (2 Jo 4-6; 3 Jo 4).
Qual deve ser nossa atitude então? Na vida da igreja devemos aprender a contatar pessoas com amor. Quanto mais da vida divina tivermos, mais amor teremos por todas as pessoas. Por isso, em nosso viver cristão e viver da igreja hoje, devemos negar a vida da alma para que a vida divina seja acrescentada.
Precisamos amar a Deus e amar as pessoas; para esse fim, invocamos o nome do Senhor para estar no espírito, onde habita o Espírito da vida. A manifestação da vida divina é o amor. Quando estamos no espírito, amamos não apenas as pessoas que são amáveis, mas também as que não são (Lc 6:32). Que possamos todos praticar a Palavra de Deus a fim de crescermos em Sua vida e manifestarmos o Seu grande amor. Louvado seja o Senhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário