A Igreja Desejável é dinâmica.



O que ouve estas palavras e as pratica é semelhante ao homem prudente que edificou sua casa sobre a rocha.(Mateus 7:24)
De tempos em tempos, a revelação de Deus para Seus filhos avança e se renova. Essa renovação inclui, até mesmo, nosso
entendimento sobre a igreja.

Antigamente era comum o conceito de que a igreja se tratava, tão somente, de um grupo de pessoas reunidas para defender determinadas verdades bíblicas ou professar um conjunto de ensinamentos. O Senhor, porém, tem-nos revelado que a igreja é um viver, cuja essência é negar nós mesmos para segui-lo (Mateus 16:24). A igreja desejada por Deus não é estática, parada, mas dinâmica e operante, pois a vida divina semeada em nós também é dinâmica e poderosa. Quando manifestamos essa vida,praticamos o viver da igreja. Ao colocar em prática as verdades recebidas, a igreja é expressa em nosso viver.

 Deus deseja que todos na igreja sejamos ministros da nova aliança (2 Coríntios 3:6). Em outras palavras, cada membro do Corpo de Cristo está sendo aperfeiçoado para ministrar o Espírito que dá vida. Esse é o objetivo da igreja hoje: produzir ministros da nova aliança. Deus não quer que sejamos ministros da letra, pois assim seremos incapazes de ministrar a vida divina. Quem ministra a "letra" sabe falar sobre a Bíblia, mas essas palavras não são necessariamente sua prática.

Percebamos que a igreja abrange não somente as ocasiões em que nos congregamos com os irmãos, mas todo o nosso viver: familiar, social e profissional. Desse modo, pouco adianta declarar que cremos em determinadas verdades espirituais, se na prática deixamos a desejar no quesito de negar a nós mesmos para viver tais verdades. É quando ocorre um conflito, ofensa ou decepção, que ganhamos a oportunidade de abrir mão de nosso ego, voltar ao espírito e obter mais da vida de Deus.

Na prática, amar o Senhor acima de todas as coisas e amar ao próximo como a si mesmo são atitudes necessárias no dia a dia: é, por exemplo, perdoar os ofensores, buscar a reconciliação, sofrer o dano sem revidar, ser misericordioso, ser paciente etc. Pode parecer difícil trilhar esse caminho, mas existe uma maneira prática e simples de fazê-lo: invocar o nome do Senhor.

 Ao invocar Seu nome, deixamos de lado os pensamentos que nos levam a julgar ou criticar as atitudes alheias. Quando O invocamos, abandonamos nossa opinião, para, humildemente, colocar-nos de joelhos diante de Deus. Nosso objetivo ao invocar o Senhor não é reafirmar nossa argumentação (qualquer que seja), e sim nos esvaziar dela para obter mais amor pelas pessoas. Esse amor é a única coisa que nos possibilita expressar a igreja na prática, pois, quando somos preenchidos com ele, somos capazes de negar a nós mesmos. Assim, o próprio Senhor nos habilita para ser ministros da nova aliança. Em suma, a igreja é dinâmica quando os membros do Corpo de Cristo andam na verdade (3 João 4). Que sejamos perseverantes nesse caminho! Vamos continuar invocando, de coração puro: Ó Senhor Jesus! Amém! Aleluia!

Jornal Árvore da Vida-número 266.


Nenhum comentário:

Postar um comentário