Seitas e Heresias: afinal, o que são?


Hoje existe muita confusão em relação ao adequado entendimento das palavras “seita” e “heresia”. Na luz da Palavra do Senhor, precisamos buscar o significado de tais termos.
Inicialmente, temos que lembrar que a Igreja foi perseguida desde os primeiros tempos (Atos 8:1). Na restauração da Igreja isto não é diferente. Por exemplo, quanto a utilização da palavra “seita”. Ela aparece unicamente no livro de Atos, usada entre os Judeus para referir-se as divisões que haviam entre eles (At 5:17; At 15:5; At 26:5) e também para se referir ao Caminho que Paulo tomara ao crer no Senhor Jesus (At 24:5,14 e At 28:22). Se você reparar bem nestas passagens de At 24 e At 28, segundo os Judeus todos aqueles que crêem que Jesus é o Cristo, filho de Deus, são da “Seita dos Nazarenos”. Na Bíblia a palavra “seita” é usada unicamente pelo judeus e nunca por cristãos.
Quanto a palavra “heresia”, o mal entendimento da mesma é ainda maior. Esta palavra, e as derivadas do mesmo radical grego “haíresis” aparecem em poucos lugares no Novo Testamento: Gl 5:19-21 (traduzida na VRA de Almeida por “facções”), 2Pe 2:1 (heresia) e Tt 3:10 (hairétikon, traduzido na VRA como “homem faccioso”). Portanto vemos que esta palavra só é utilizada para se referir a dois desvios graves:
1) Facções (divisões)
2) Negar ao Senhor.

Portanto “heresia” se refere apenas àqueles que promovem a divisão do Corpo de Cristo e àqueles que negam a pessoa de Cristo em Sua divindade e Sua humanidade.
Como podemos ver, infelizmente muitas pessoas usam estas palavras para tentar “ferir” a restauração da Igreja, sem nos conhecer (Jo 1:46) e até mesmo sem saber o que estão dizendo.
Resta-nos continuarmos a pregar o Evangelho do Reino (Mt 24:14), suportando todo sofrimento que poderá vir sobre nós (1Pe 4:12-13).

   Fonte:  

Nenhum comentário:

Postar um comentário